NOTÍCIAS

Chuvas e tempestades: como cuidar do seu pet em casa

Os animais, assim como nós humanos também sentem frio e medo. Antes mesmo de um temporal se instalar os animais demonstram alguns sinais de que algo lhes preocupa. Uns abaixam a cauda, outros se escondem, uns vão para dentro de suas casinhas e alguns lhe seguem por todos os cômodos da casa. Isso se deve ao fato de que eles possuem a audição muito mais sensível que nós, que ouvimos até 20kHz (quilohertz), enquanto os cães podem ouvir até 45kHz e os gatos 65 kHz, e por isso sentem tanto medo.

Em casos de grandes períodos de chuvas, os animais associam esse fato como sendo uma ameaça a sua vida. Podendo geralmente expressar o comportamento de medo e em alguns casos agressividade. O estresse causado pelo medo pode fazer com que seu animal tenha uma liberação constante do hormônio cortisol. Esse hormônio, além de outras funções, age principalmente diminuindo a produção de células de defesa do organismo do seu companheiro, que são como se fossem soldados que combatem microrganismos como os vírus, bactérias, fungos, entre outros.

Se seu pet for filhote ou idoso, lembre-se que você deve redobrar os cuidados, pois estes grupos etários possuem uma menor atividade do sistema imune naturalmente. Muitos animais podem ser portadores assintomáticos (sem sinais) de doenças que basta uma baixa imunológica que elas se manifestem clinicamente. Não podemos esquecer que existem animais que simplesmente veem a chuva como uma oportunidade de pura diversão, mas na maior parte dos casos frente a raios e trovões o medo prevalece. Sendo assim, é essencial adotar alguns cuidados com seu pet.

Nas tempestades, se seu animal mora dentro de sua casa, procure acalmá-lo, agindo naturalmente como qualquer outro dia normal sem demonstrar medo a ele, mantenha no ambiente em que ele se sentir mais confortável e se possível faça coisas que o agrade, como brincar, dar petiscos, fazer carinho. Evite dar banhos frequentemente, mas caso você dê banhos semanais, garanta que o animal esteja completamente seco, principalmente na região da orelha, corpo e membros.

Estes cuidados são fundamentais uma vez que o frio associado à umidade, a água da chuva e a baixa atividade do sistema imunológico, resultam na combinação ideal para o aparecimento de doenças.

Mesmo se adotar todos esses cuidados, fique sempre atento se seu animal está seco, dê atenção a sinais como a diminuição de apetite e ingestão de água, espirros, secreções no nariz e olhos, tremores e veja se alterou seu comportamento habitual. Caso note alguns desses sinais, leve seu cão ou seu gato no veterinário.

Não seja um facilitador do aparecimento de doenças nos seus animais, a saúde e bem estar deles dependem dos seus cuidados. Portanto, proteja-os tanto nos dias de calor e frio, faça chuva ou faça sol.

Fonte: Revista Vitale

CENTRAL DE VENDAS

CONVERSE CONOSCO NO CHAT ONLINE
OU POR TELEFONE: 51 3476-1403
WHATSAPP: (51) 9314-4853